BECE - Biblioteca Estadual do Ceará BECE - Biblioteca Estadual do Ceará

Programação da XIV Bienal Internacional traz representatividade periférica, indígena e afro-brasileira
Programação da XIV Bienal Internacional traz representatividade periférica, indígena e afro-brasileira

Marcada pela representatividade em todos os seus espaços, a programação da XIV Bienal Internacional do Livro do Ceará foi lançada na manhã desta terça-feira, 8, na Biblioteca Pública Estadual do Ceará (BECE), equipamento da Secult Ceará. São mais de 300 atividades espalhadas por diversos espaços e pelos dez dias de evento, com visitação gratuita sempre das 9 horas às 22 horas. A Bienal do Livro, que conta com a realização da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará e do Instituto Dragão do Mar, será aberta nesta sexta-feira, dia 11, seguindo até o dia 20 de novembro, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza.

O Secretário da Cultura do Estado do Ceará, Fabiano Piúba, destacou durante o encontro com a imprensa e influenciadores a importância das políticas públicas para a realização do evento. Piúba comentou ainda que os curadores traduziram a temática deste ano, “De toda gente para todo mundo”, em sua plenitude. “Essa é uma bienal da diversidade, com esses curandeiros e curandeiras (curadores) gritando em letra alta: preta, indígena e periférica. Essa é a principal demarcação política e social, mas também espiritual na perspectiva de que as cosmovisões indígenas e afro-brasileiras predominam nos ambientes da Bienal”, ressalta. Segundo Piúba, a identidade visual traz a representação de uma “mãe-literatura” ancestral, mas também futurista.

Para a escritora e curadora do evento, Conceição Evaristo, a Bienal é de grande relevância porque apresenta valores locais e internacionais.

“A própria curadoria coaduna com a temática da feira na medida que tem Daniel Munduruku representando a arte e a literatura indígena, e que tem eu, Conceição Evaristo, que represento a literatura produzida por mulheres negras, e estamos ao lado de Tércia Montenegro e Talles Azigon. A literatura como arte traz justamente essa possibilidade de trabalhar a nossa sensibilidade, de nos colocar em direção ao outro, na medida em que o texto literário nos convoca para uma abertura, através da personagem, quando nos conquista, nos representa”, afirmou Conceição Evaristo.

Os curadores Tércia Montenegro e Talles Azigon apresentaram juntos parte da programação. Conforme o poeta Talles Azigon, a diversidade e a representatividade vão estar presentes em todos os setores do evento. “Nós, escritores e escritoras das periferias, ocupamos esse espaço, mudando a cara da Bienal. É uma conquista nossa, de estar presente, de dizer ‘nós estamos aqui, nós somos literatura, nós fazemos literatura’. A gente desejava ver essa representatividade e essa diversidade em todos os rostos da Bienal”, destacou Azigon.

A escritora Tércia Montenegro ressaltou a força da construção coletiva da Bienal, a tornando em um “momento glorioso”. “A gente conseguiu reunir a alegria, a sensatez e a organização para chegar nesses nomes. Vai ser um momento de muito aprendizado e de muita diversão. Junto com todos vocês, me sinto quebrando a garrafa no casco do navio. Vamos zarpar para essa viagem da Bienal Internacional do Livro do Ceará!”, concluiu a escritora no lançamento da programação.

O curador e escritor Daniel Munduruku reforçou o papel e a importância da Bienal, destacando que seus irmãos e parentes indígenas se sentirão contemplados na programação. “Eu aprendi, desde criança, que a palavra cura, é mágica, porque ela nos reporta ao princípio de tudo, ao começo da nossa existência. Ela nos encanta. Os povos indígenas são povos da oralidade, da compreensão de vida e existência a partir da valorização dos contadores de história, principalmente nossos avós, os velhos. A palavra é forte, tem poder, tem magia, tem alma”, explica. Segundo ele, a palavra escrita ajuda a romper o ciclo de apagamento e ocultação das histórias indígenas, por ser a expansão da palavra falada e por poder chegar em outros lugares. Desse modo, a Bienal é uma forma de ampliação dessas tantas vozes.

A Bienal Internacional do Livro conta com atrações de natureza artística e literária, incluindo palestras, mesas redondas, conferências, oficinas, contações de histórias, lançamentos de livros, saraus, além de apresentações lítero-musicais, escritores com reconhecimento local, nacional e internacional, atendendo um público plural entre crianças, jovens e adultos. São mais de 300 atividades distribuídas por espaços como a Arena Principal, Arena BECE, Café Literário, Praça do Cordel, Praça de Lançamentos, Arena da Juventude, Festival de Ilustração do Ceará, Praça de Convivência e outras áreas.

Em sua 14ª edição, a Bienal Internacional do Livro do Ceará será realizada de 11 a 20 de novembro de 2022 no Centro de Eventos do Ceará. Apresentada pelo Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura e do Instituto Dragão do Mar de Arte e Cultura (IDM), o evento acontece em parceria com a Secretaria de Educação do Ceará (Seduc), Secretaria de Turismo do Ceará (Setur), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará (Secitece), Programa Mais Infância, Universidade Estadual do Ceará, Biblioteca Pública Estadual do Ceará (Bece), o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Ceará, a Câmara Cearense de Livro e o Sindilivros CE. O apoio é da RPS Eventos, Sesc Senac, Banco do Nordeste Cultural, Universidade de Fortaleza, Unilab, Universitária FM, TV Ceará, Jornal O Povo/Vida e Arte, Fundação Demócrito Rocha, Pixels Educação Tecnológica, Instituto Juventude Inovação, Secretaria Municipal de Educação e Prefeitura de Fortaleza.

Bienal Adentro
A Bienal Adentro vai marcar a ampliação do evento para além do espaço do Centro de Eventos do Ceará, com atividades nas periferias de Fortaleza e no interior do Estado. Há eventos confirmados em Caucaia, Itaitinga, Redenção, Sabiaguaba, Pacatuba, Quixadá e Quixeramobim. Também haverá atividades nos bairros de Fortaleza: Benfica, Cais do Porto, Fátima, Itaperi e Jacarecanga.

Mesas confirmadas
As mesas são um importante espaço para trazer a pluralidade das discussões nos âmbitos artísticos, cultural e literário, com exposição e debate de ideias. No dia 12, às 18h, está confirmada a mesa “Todos os caminhos levam à periferia”, com Geovani Martins e Ayla Nobre; e “Nordeste Chão Sagrado da Poesia”, com Cida Pedrosa e Talles Azigon, às 20h. No dia 13 ocorre a mesa “Texto e memória”, com os escritores Pedro Salgueiro e Daniel Munduruku, às 18h; e a mesa “Literatura e espiritualidade”, com Maria Valéria Resende e Ademário Payayá, às 20h. O dia 14 terá a mesa “O jornalismo que revela o Brasil”, com Fernanda da Escóssia e Isabel Costa, às 18h.

Já no dia 15 teremos “As Delícias da Literatura Cearense”, com Kah Dantas, Tércia Montenegro e Talles Azigon, às 18h. “As veias abertas da literatura da américa latina” ocorre às 20h, com Nathan Matos, Fernanda Trías e Nina Rizzi. O dia 16 trará como tema “Quais corpos cabem na literatura?”, com Peagá e João Paulo Lima, às 18h; e “Uma história de amor e literatura”, com José Falero e Dalva Maria, às 20h.

No dia 17 será a mesa “Poesia e visualidades”, com Diego Vinhas, Gabriel Medeiros e Tércia Montenegro, às 18h, e a mesa “(Auto)ficção e lugares de si”, com Vanessa Passos e Nádia Camuça, às 20h. Dia 18, às 18h, ocorre a mesa “Viva Lygia Fagundes Telles”, com Nilton Resende e Tércia Montenegro.

Programação completa
Confira a programação completa da XIV Bienal Internacional do Livro do Ceará no link https://bienaldolivro.cultura.ce.gov.br/programacao/download/programacao-xiv-bienal-internacional-do-livro-do-ceara-2022.pdf (programação sujeita a alterações).

XIV Bienal Internacional do Livro do Ceará
De 11 a 20 de novembro, de 9 horas às 22 horas
Centro de Eventos do Ceará
facebook.com/BienalDoLivroDoCeara
instagram.com/bienaldolivroce
bienaldolivro.cultura.ce.gov.br

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support